Rádio Canelinha FM - Informação com credibilidade e responsabilidade.

Quarta-feira, 21 de Fevereiro de 2024
SPEEDNET
SPEEDNET

Notícias Segurança Pública

Presídio de Tijucas pode deixar de receber novos presos

A Associação ameaça deixar de receber novos presos nas unidades prisionais de Santa Catarina onde há lotação.

Presídio de Tijucas pode deixar de receber novos presos
IMPRIMIR
Use este espaço apenas para a comunicação de erros nesta postagem
Máximo 600 caracteres.
enviando

Em meio à realização nesta segunda-feira (19) de uma audiência pública para discutir a proposta de reforma da Previdência na Assembleia Legislativa de SC (Alesc), representantes de servidores adiantam o discurso de protesto e ameaças de paralisação. A intensificação das promessas de retaliações em decorrência do projeto ocorre após conversas frustradas com o Executivo estadual, segundo dirigentes sindicais. 

"Nós não estamos sendo atendidos da maneira como a gente merece. [...] A diretoria decidiu que não senta mais em mesa de negociação", afirmou o presidente da Associação dos Policiais Penais e Agentes de Segurança Socioeducativos de SC (AAPSS), Ferdinando Gregório. Segundo ele, a entidade aguardará uma contraproposta do governo do Estado com o atendimento das demandas já apresentadas. 

A Associação ameaça deixar de receber novos presos nas unidades prisionais de Santa Catarina onde há lotação. O presídio de Tijucas está na lista e cabe aos servidores decidir aderir ou não ao movimento. Com capacidade para 155 presos, a unidade atualmente comporta cerca de 320, ou seja, mais do que o dobro. 
A entidade convocou uma assembleia geral dos filiados para terça-feira (20), em frente à Alesc, em Florianópolis, para decidir se promoverá, ou não, o que chama de "Operação Legalidade". O objetivo é pressionar o Executivo para que sinalize em prol de mudanças no projeto já na audiência desta segunda. 

As principais demandas são a manutenção da idade mínima de 20 anos na atividade policial para aposentadoria, e não 25 como propõe o governo. Além disso, há a proposta de redução do pedágio para aqueles que estão próximos da aposentadoria de 100% do tempo faltante - sugestão do governo - para 20%. 

O Sindicato dos Policiais Civis de SC (Sinpol/SC) decidiu dar um início à uma "Operação Padrão", já nesta segunda-feira (19), às 8 horas. O objetivo é chamar a atenção para a reforma com medidas como restrições na condução de viaturas, limitação da permanência de presos nas Centrais de Flagrante, e paralisação de operações por falta de efetivo mínimo. 

Em nota, o Sinpol/SC disse que "o projeto de reforma de Previdência proposto pelo Governo do Estado é excludente, injusto, desleal e tem por objetivo a retirada de direitos já historicamente conquistados". A entidade também chamou uma assembleia na terça na Alesc para decidir sobre a duração do protesto. 
A audiência pública desta segunda vai ouvir 32 entidades. Os sindicatos dos Trabalhadores em Educação de SC (Sinte/SC) e dos Trabalhadores do Serviço Público de SC (Sintespe/SC), entre outros, convocaram os servidores para atos em frente ao Parlamento a fim de pressionar os parlamentares.

 

Comentários:
unifael
unifael

Veja também

Crie sua conta e confira as vantagens do Portal

Você pode ler matérias exclusivas, anunciar classificados e muito mais!

Envie sua mensagem, estaremos respondendo assim que possível ; )